MAESTRO LAÉRCIO DINIZ

“Conducted by Laércio Diniz, were at their best here” (The New York Times 26/05/2008)

 Foi assim que o carioca Laércio Diniz começou sua carreira internacional, à frente a Bachiana Chamber Orchestra, no Carnegie Hall, em Nova York. Um ano depois, regeu o pianista David Brubeck no Lincoln Center.

Bolsista do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), Diniz estudou violino na Escola Superior de Música de Colônia, na Alemanha, sob a orientação de Ingeborg Scheerer, Saschko Gawriloff e Susanne Rabenschlag, e música de câmara com o quarteto Amadeus. No Brasil, teve como mestres de regência Roberto Tibiriçá e Isaac Karabtchevsky. Maestro e diretor artístico da Orquestra Filarmônica do Brasil (FIBRA) e da orquestra de época Engenho Barroco, Diniz assumiu a regência da orquestra holandesa  New Netherlands Orchestra em 2011, formada por músicos da Orquestra Filarmônica da Radio Holandesa, com a qual gravou o seu primeiro DVD pelo selo Aureus Records.

 

De 2011 a 2015, o maestro realizou, por meio do projeto “Maestro CAPEMISA”, dezenas de concertos anuais com diversas orquestras sinfônicas brasileiras e estrangeiras. Em 2012, gravou na Lituânia com a Lithuanian National Symphony Orchestra (LNSO) o CD “Saudades do Brasil” com obras, entre outros, de Villa Lobos e Darius Milhaud.

 

Em 2014, gravou com a orquestra Alemã Nordwestdeutche Philharmonie e a pianista Anna Federova o concerto de Rachmaninoff n⁰ 2 pelo selo europeu Piano Classics.

 

Em agosto de 2015, gravou com a orquestra alemã Das Freie Orchestra Berlin o CD Suspended op 69, com música do israelense Nimrod Borenstein, dando início a uma série com essa orquestra e com o selo alemão Solaire. 

 

Desde 2013 é regente e diretor artístico da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa e diretor artístico do Festival Internacional de Musica Clássica de João Pessoa, cargo que ocupa até hoje.

 

 Em 2017 levou como maestro preparador da orquestra a Camerata Jovem do Rio de Janeiro por uma turnê na Europa, passando por Berlin na Alemanha, culminando na Holanda na famosa sala do Concertgebow em Amsterdam.

 

Atualmente, Diniz é um dos maestros brasileiros com mais gravações internacionais.